Ouça a Rádio Ao Vivo

Vídeo: Mulher em surto destrói ambulância e é imobilizada em Marataízes

 Foto: Reprodução.

Uma mulher que estava sendo socorrida por uma equipe da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Marataízes surtou e destruiu parte da ambulância, na noite deste sábado (6). A depredação só parou quando policiais militares imobilizaram a mulher, que não portava documentos e forneceu apenas o primeiro nome (Vídeo no fim da matéria).

Segundo a Polícia Militar (PM), a ambulância estava parada próximo no entroncamento entre a avenida atlântica e a avenida miramar enquanto a mulher quebrava partes da ambulância.

A mulher danificou o painel de controle do giroflex, sirene e do rádio, parte do painel superior ao volante, documentos e prontuários, inclusive quebrando o para-brisas.

Para contê-la um dos policiais militares a retirou da cabine da ambulância, derrubando-a no chão, em seguida imobilizando e algemado. Ainda muito alterada, a mulher foi encaminhada novamente até o interior da ambulância, onde foi amarrada na maca e posteriormente encaminhada até UPA do município.

Com o giroflex e a sirene danificados, a ambulância precisou de escolta da viatura da PM até a unidade.

Na Upa, a mulher, ainda muito alterada, não forneceu informações que pudessem identificá-la ou sobre sua condição clínica, apenas disse que estaria grávida. Ela ficou na unidade em observação, sendo medicada.

A enfermeira informou que prestava o atendimento por solicitação da guarda municipal, porque a suspeita estava desacordada na praia e teria sido agredida.

fonte original do Jornal Fato

Confira mais Notícias

Prevenção contra a dengue deve ocorrer também em propriedades rurais

Mulher cai no rio Jucu após ouvir chamado de amiga falecida em Marechal Floriano

CRAS de Domingos Martins promove revisão cadastral para famílias de baixa renda

Mecanização é o caminho para a produtividade na silvicultura

Últimos dias para inscrição de trabalhos científicos acadêmicos na Favesu 2024

São Camilo: Governo garante bolsa a aprovados que tiveram matrículas canceladas

Homicídio em posto foi legítima defesa, conclui Delegacia de Marataízes

Suspeito de fingir ser policial civil é detido com arma em Alegre