Ouça a Rádio Ao Vivo

CPI quer indiciamento de suspeito de matar cão no Espírito Santo

A CPI dos Maus-Tratos aos Animais da Assembleia Legislativa (Ales) esteve nesta quarta-feira (19) em São Mateus para apurar a morte do cão Hulk, da raça pinscher, que teria sido vítima de maus-tratos. Na audiência pública realizada na Câmara Municipal e presidida pela deputada estadual Janete de Sá (PSB), prestaram depoimentos a tutora do cachorro, duas testemunhas do caso e o homem apontado como agressor.

De acordo com informações relatadas no boletim de ocorrência, o cão de cinco anos fugiu da casa da tutora no dia 27 de maio. Após três dias de buscas, Hulk foi encontrado pela tutora agonizando em uma rua do bairro Guriri, sendo levado para uma clínica veterinária. Após dois dias internado em estado grave, o animal não resistiu aos ferimentos e morreu.

Segundo testemunhas, os ferimentos foram causados por um homem de 44 anos, que teria acolhido o cão durante os dias que o animal estava fora de casa. Vizinhos contaram que o homem ficou contrariado com os pedidos da tutora para que Hulk fosse devolvido. Por isso, o suspeito teria atirado o cachorro por cima de um muro, causando os ferimentos.

O suspeito da agressão optou por manter o silêncio em boa parte das perguntas. No entanto, ao ser questionado pela presidente da CPI, assumiu que estava arrependido dos seus atos.

A médica-veterinária que atendeu o cão em uma clínica também prestou depoimento como testemunha, relatando que o animal chegou ao local com ferimentos graves. No fim da audiência, que durou cerca de três horas, a deputada Janete de Sá afirmou que, no entendimento da CPI, o suspeito cometeu maus-tratos contra o animal e deve responder criminalmente pelo caso.

Punição

“Nós entendemos que cabe o pedido de indiciamento dessa pessoa pelo crime de maus-tratos e vamos estar pedindo a pena máxima de cinco anos de prisão. Vamos remeter todas as peças para o Ministério Público, para que ele ofereça denúncia à Justiça e ingressar com um processo criminal contra o suspeito”, explicou a deputada.

A parlamentar também destacou a importância do combate à violência contra os animais no Espírito Santo. “A gente quer levantar a atenção das pessoas para esse tema e pedir às pessoas que estão nos assistindo mais respeito aos animais. Eles sentem dor, sentem fome, sentem frio. São inadmissíveis os crimes contra os animais e o abandono do poder público com os animais”, concluiu a deputada. 

Fonte e foto: Ales

fonte original do Montanhas Capixabas

Confira mais Notícias

Sem capacete, meninas são flagradas pela GCM trafegando com moto

Situação e oposição fazem convenções no mesmo dia em Marataízes

Cafeicultura sustentável torna Seguro Rural mais barato

Ondas de calor e veranicos: Diferenças, impactos e cuidados

Veja a previsão do tempo de hoje (22/07/2024)

Fungos estão se adaptando ao calor corporal, diz estudo

Semana de início das Olimpíadas tem dia do escritor e avós

Pega em flagrante ameaçando pessoas, dupla armada é detida em Alegre