Ouça a Rádio Ao Vivo

Confira as últimas ações do Ministério da Saúde no combate à dengue

Nesta semana, o Ministério da Saúde coordenou uma série de ações com foco no combate à dengue. Em agenda intensa, a ministra Nísia Trindade acompanhou a abertura da vacinação no Distrito Federal, cuja distribuição foi iniciada nesta quinta-feira (8) para os municípios prioritários. Ela também esteve presente durante inauguração do Centro de Operações de Emergência contra dengue e de novos polos de atendimento para a doença no Rio de Janeiro.

Como parte da estratégia para ampliar a produção de vacinas, foram realizados encontros com o Instituto Butantan e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Sem deixar de lado a transparência e o cuidado com população, um pronunciamento oficial foi exibido na rede nacional de rádio e TV. Com esse objetivo, a pasta também iniciou uma campanha digital com artistas e influencers, ressaltando que dez minutos já fazem toda a diferença na eliminação de focos do mosquito.

A ministra também esteve presente na reunião com o Fórum dos Governadores, da qual participaram 16 estados e o Distrito Federal, e com representantes entidades do setor privado de Saúde. Além de alinhar as estratégias de combate às arboviroses e de cuidado com as pessoas doentes, os encontros valorizam o diálogo com todos os setores da sociedade para este momento crucial do enfrentamento à dengue.

Instalação do Centro de Operações de Emergência

No Sábado (3), o Ministério da Saúde deu início as atividades do Centro de Operações de Emergência (COE) contra dengue e outras arboviroses. Durante as instalações, a ministra Nísia Trindade destacou que o objetivo da iniciativa é permitir maior agilidade no monitoramento e na análise do cenário da dengue para conter o avanço da doença no país.

“Aqui é um lugar para monitoramento do cenário epidemiológico nacional, produção de informes diários sobre a situação de dengue, orientações aos estados e municípios e, também, tomada de decisões”, reiterou. Coordenada com estados e municípios, essa estrutura organizacional tem participação das secretarias da pasta e representantes da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), da Fiocruz, da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e do Conselho Nacional de Secretarias municipais de Saúde (Conasems).

Encontro com Instituto Butantan e Fiocruz para discussão sobre ampliação da vacina

Ainda no sábado, a ministra se reuniu com Esper Kallás, diretor do Instituto Butantan, e Mario Moreira, presidente da Fiocruz. A reunião faz parte de uma estratégia de união e coordenação de esforços para viabilizar uma maior oferta de vacinas contra a dengue para o país.

O tema também foi discutido na segunda-feira (5), em agenda de Trindade com o presidente Luís Inácio Lula da Silva, o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom, e o diretor da Opas, Jarbas Barbosa. Em conversa sobre uma possível parceria na produção da vacina contra a dengue, o diretor da OMS afirmou considerar o Brasil como um provável fornecedor do imunizante.

Inauguração de novo polo de atendimento para pacientes com dengue no Rio de Janeiro

Também na segunda (5), a ministra participou da inauguração do primeiro polo de atendimento para pacientes com dengue no Rio de Janeiro. A unidade fica no Hospital Raphael de Paula Souza, em Curicica, na Zona Oeste do Rio. Durante o ato de abertura, Trindade reforçou que o Ministério da Saúde acompanha diariamente o cenário epidemiológico de todo o Brasil, especialmente os locais que declararam emergência em razão da dengue.

Pronunciamento nacional

Na terça (6), em pronunciamento exibido na rede nacional de rádio e TV, a ministra da Saúde, Nísia Trindade, se dirigiu a população brasileira, governos, estados e municípios para convocar uma mobilização de enfrentamento à dengue. “Este é o momento de intensificar os cuidados e a prevenção. Agora é hora de todo o Brasil se unir contra a dengue”, declarou.

De forma transparente, Nísia enfatizou que, em decorrência do aumento de casos no país, o engajamento de todos é necessário: governadores tem um papel essencial, apoiando os sistemas de saúde; prefeitos e prefeitas devem intensificar os cuidados com a limpeza urbana; o cidadão deve redobrar os cuidados na sua casa e vizinhança, recebendo os agentes de combate às endemias e ajudando na localização de focos do mosquito.

Em seu discurso, a ministra também destacou que o Brasil é o primeiro país do mundo a incorporar uma vacina contra a dengue ao sistema público de saúde e reiterou a prioridade para ações contra a doença, com ampliação do repasse para estados e municípios em R$ 1,5 bilhão.

Campanha de conscientização com artistas e influencers

Apenas dez minutos podem fazer a diferença no combate à dengue. Com esse lema, também na terça (6), o Ministério da Saúde lançou a ação ‘10 minutos contra a dengue’ como parte da campanha nacional “Brasil Unido Contra a Dengue”. Com participação de artistas, personalidades do esporte, influenciadores digitais, entre outros, vídeos curtos serão distribuídos diariamente nas redes sociais do Ministério da Saúde e do governo federal com dicas de prevenção para a eliminação de criadouros do mosquito Aedes Aegypt.

Entre as personalidades, já gravaram sua participação a atriz Letícia Colin, o rapper mineiro Djonga, o sambista e compositor carioca João Martins e o ex-participante do Big Brother Brasil e influenciador na Rocinha (RJ), Danrley Ferreira. A adesão à campanha é voluntária, nenhum pagamento foi feito aos participantes.

Distribuição de vacinas para os estados prioritários

Na quinta (8), foi iniciada a distribuição de vacinas contra a dengue para municípios que atendem os critérios definidos pela Saúde em conjunto com o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems). Inicialmente, a imunização começará pelas crianças de 10 a 11 anos, mas assim que novos lotes foram entregues pelo laboratório fabricante, a faixa etária vai avançar progressivamente. Hoje (9), a ministra acompanhou o início da vacinação no Distrito Federal em uma Unidade Básica de Saúde (UBS) localizada no Cruzeiro – região administrativa localizada a 8 km da capital.

Essa é uma estratégia que permite que mais municípios possam receber as doses nesse primeiro momento, uma vez que essa faixa etária tem maior índices de hospitalização por dengue dentro do público-alvo da vacina, de 10 a 14 anos. O lote inicial, com 712 mil doses, será enviado para 315 municípios nos seguintes estados:

  1. Distrito Federal,
  2. Goiás,
  3. Bahia,
  4. Acre,
  5. Paraíba,
  6. Rio Grande do Norte,
  7. Mato Grosso do Sul,
  8. Amazonas,
  9. São Paulo,
  10. Maranhão.

Essa remessa atende a 60% dos 521 municípios selecionados e a previsão é que os demais recebam doses até a primeira quinzena de março. Com o recebimento das 6,5 milhões de doses em 2024, o Ministério da Saúde garante a vacinação de todas as crianças de 10 a 14 anos, nos municípios selecionados, ao longo dos meses.

Vacinação contra dengue
Foto: Walterson Rosa/MS

Diálogo é parte da construção e consolidação das estratégias de prevenção e cuidado

Também na quinta-feira, a ministra esteve na reunião com o Fórum dos Governadores, da qual participaram governadores de oito estados (Goiás, Amazonas, Acre, Rio Grande do Sul, Amapá, Rio Grande do Norte, Tocantins e Bahia) e representantes de outros oito (São Paulo, Ceará, Rondônia, Santa Catarina, Maranhão, Paraná, Pernambuco e Espirito Santo), além do Distrito Federal.

Cada estado atualizou a situação em que se encontra, inclusive com alguns governadores informando cenário de estabilidade de casos no próprio território. Alinhamentos assim são fundamentais em um país diverso como o Brasil, que tem situação de surto em algumas regiões e quadros estáveis em outras. Dessa forma, é possível coordenar onde são mais necessárias ações de prevenção e onde é necessário o reforço do cuidado com a saúde.

Na sexta (9), a ministra começou o dia acompanhando o início da vacinação de crianças no Distrito Federal e falando à imprensa sobre como funcionará a distribuição de doses aos 521 municípios selecionados. “É um momento histórico. Há 40 anos se espera por uma vacina para a dengue. Já houve vacina desenvolvida, não tão bem-sucedida, e agora temos uma incorporada ao SUS”, disse.

Logo depois, ela compareceu à reunião de alinhamento das estratégias de enfrentamento à dengue e outras arboviroses na atenção hospitalar do setor privado. Além de representantes da Secretaria de Atenção Especializada (SAES), estiveram presentes o diretor da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), Paulo Rebello Filho, o presidente da Confederação das Santas Casas de Misericórdia, Hospitais e Filantrópicas (CMB), Eduardo Amaro, e os secretários-executivos do Conass e Conasems, Jurandi Frutuoso e Mauro Junqueira, respectivamente.

No encontro, os presentes falaram sobre a importância de alinhar os cuidados com as pessoas que contraíram dengue, especialmente os quadros graves. Além do combate ao vetor, a intervenção médica oportuna é fundamental para salvar vidas.

Ministério da Saúde

fonte original do Montanhas Capixabas

Confira mais Notícias

Motorista de caminhão morre preso às ferragens em São José do Calçado

Assaltante é detido e produtos recuperados pela PM em Guaçuí

Colisão entre dois veículos deixa três feridos em Itapemirim

Duas motos recuperadas pela GCM em Cachoeiro na tarde desta sexta-feira

Vídeo: Homem morre dentro de casa noturna em Ibatiba

PP define data da convenção para confirmar candidatura de Ferraço

Resgate de cadáver no Itapemirim chama atenção no centro

Bebê amanhece morto em casa