Ouça a Rádio Ao Vivo

Iniciativa da UNCTAD ajudará o Brasil a maximizar uso de tecnologia geoespacial para o desenvolvimento urbano

A Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD) e o Atlantic International Research (AIR) Centre lançam parceria para alavancar o emprego da tecnologia geoespacial para o desenvolvimento urbano sustentável.

Brasil e África do Sul participarão da iniciativa global anunciada durante seminário sobre observação da Terra organizado nos Açores, em Portugal. 

O primeiro evento da iniciativa será realizado no Rio de Janeiro de 3 a 5 de abril, e reunirá cientistas e formuladores de políticas públicas do Brasil e da África do Sul, além de especialistas da UNCTAD e pesquisadores de várias partes do mundo. 

A UNCTAD anunciou parceria com o Atlantic International Research (AIR) Centre, uma organização sem fins lucrativos, para apoiar o Brasil e a África do Sul a aumentar as suas capacidades de observação da Terra.

As tecnologias espaciais podem revolucionar a forma como os países capturam, visualizam e analisam dados sobre a superfície da Terra, tais como áreas propensas a desastres, qualidade local do ar e da água e redes de transporte.

O trabalho conjunto irá dotar ambos os países com dados necessários para apoiar o planejamento e a gestão urbana baseados em evidências, e para acompanhar o progresso em direção aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS)

A iniciativa foi anunciada no seminário global sobre observação da Terra realizado nos Açores, Portugal, entre 8 e 12 de janeiro. O evento teve como foco aprimorar a análise geoespacial usando ‘Julia’, uma linguagem de programação inovadora de código aberto desenvolvida pelo Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT).

O evento reuniu mais de 240 cientistas e investigadores de instituições de ponta, como o MIT e a Universidade de Harvard, e agências espaciais nacionais da Bélgica, Brasil, Dinamarca, Polônia, Portugal, África do Sul e Estados Unidos.

Catalisador para cidades mais inteligentes, mais resilientes e inclusivas

A iniciativa faz parte de um projeto de dois anos, até 2025, intitulado “Aproveitar aplicações tecnológicas espaciais no desenvolvimento urbano sustentável”.

“Este projeto responde à necessidade de apoiar ainda mais os países em desenvolvimento, especialmente as mulheres cientistas, para utilizarem a tecnologia geoespacial como catalisador para cidades mais inteligentes, mais resilientes e inclusivas”, afirma a economista da UNCTAD Eugenia Núñez.

A nova iniciativa UNCTAD-AIR deverá realizar seu primeiro evento no Rio de Janeiro, no Brasil, de 3 a 5 de abril de 2024.

Os parceiros locais e os gestores políticos irão explorar formas de utilizar a linguagem de programação ‘Julia’ para integrar dados de observação da Terra, de saúde e socioeconômicos, à medida que intensificam os esforços para melhorar as condições de vida nos assentamentos informais da cidade.

Fonte: ONU/ Foto: Shutterstock/Mihai_Andritoiu

fonte original do Montanhas Capixabas

Confira mais Notícias

Sem capacete, meninas são flagradas pela GCM trafegando com moto

Situação e oposição fazem convenções no mesmo dia em Marataízes

Cafeicultura sustentável torna Seguro Rural mais barato

Ondas de calor e veranicos: Diferenças, impactos e cuidados

Veja a previsão do tempo de hoje (22/07/2024)

Fungos estão se adaptando ao calor corporal, diz estudo

Semana de início das Olimpíadas tem dia do escritor e avós

Pega em flagrante ameaçando pessoas, dupla armada é detida em Alegre