Ouça a Rádio Ao Vivo

Iniciativa da UNCTAD ajudará o Brasil a maximizar uso de tecnologia geoespacial para o desenvolvimento urbano

A Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD) e o Atlantic International Research (AIR) Centre lançam parceria para alavancar o emprego da tecnologia geoespacial para o desenvolvimento urbano sustentável.

Brasil e África do Sul participarão da iniciativa global anunciada durante seminário sobre observação da Terra organizado nos Açores, em Portugal. 

O primeiro evento da iniciativa será realizado no Rio de Janeiro de 3 a 5 de abril, e reunirá cientistas e formuladores de políticas públicas do Brasil e da África do Sul, além de especialistas da UNCTAD e pesquisadores de várias partes do mundo. 

A UNCTAD anunciou parceria com o Atlantic International Research (AIR) Centre, uma organização sem fins lucrativos, para apoiar o Brasil e a África do Sul a aumentar as suas capacidades de observação da Terra.

As tecnologias espaciais podem revolucionar a forma como os países capturam, visualizam e analisam dados sobre a superfície da Terra, tais como áreas propensas a desastres, qualidade local do ar e da água e redes de transporte.

O trabalho conjunto irá dotar ambos os países com dados necessários para apoiar o planejamento e a gestão urbana baseados em evidências, e para acompanhar o progresso em direção aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS)

A iniciativa foi anunciada no seminário global sobre observação da Terra realizado nos Açores, Portugal, entre 8 e 12 de janeiro. O evento teve como foco aprimorar a análise geoespacial usando ‘Julia’, uma linguagem de programação inovadora de código aberto desenvolvida pelo Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT).

O evento reuniu mais de 240 cientistas e investigadores de instituições de ponta, como o MIT e a Universidade de Harvard, e agências espaciais nacionais da Bélgica, Brasil, Dinamarca, Polônia, Portugal, África do Sul e Estados Unidos.

Catalisador para cidades mais inteligentes, mais resilientes e inclusivas

A iniciativa faz parte de um projeto de dois anos, até 2025, intitulado “Aproveitar aplicações tecnológicas espaciais no desenvolvimento urbano sustentável”.

“Este projeto responde à necessidade de apoiar ainda mais os países em desenvolvimento, especialmente as mulheres cientistas, para utilizarem a tecnologia geoespacial como catalisador para cidades mais inteligentes, mais resilientes e inclusivas”, afirma a economista da UNCTAD Eugenia Núñez.

A nova iniciativa UNCTAD-AIR deverá realizar seu primeiro evento no Rio de Janeiro, no Brasil, de 3 a 5 de abril de 2024.

Os parceiros locais e os gestores políticos irão explorar formas de utilizar a linguagem de programação ‘Julia’ para integrar dados de observação da Terra, de saúde e socioeconômicos, à medida que intensificam os esforços para melhorar as condições de vida nos assentamentos informais da cidade.

Fonte: ONU/ Foto: Shutterstock/Mihai_Andritoiu

fonte original do Montanhas Capixabas

Confira mais Notícias

Leptospirose: 85 casos suspeitos da doença foram registrados em Mimoso

Roberto Carlos: maior nome da música brasileira completa 83 anos na sexta (19)

Incêndio atinge empresa em Itaoca, distrito de Cachoeiro

Escritora atacada por pit bulls recebe alta após 13 dias internada

Cachoeiro: autorizada reforma do Centro de Saúde “Paulo Pereira Gomes”

Barbeiro é detido com moto clonada em Cachoeiro

Cachoeiro: Servidor da prefeitura perde braço após acidente de trabalho

Cachoeiro recebe evento de cidades inteligentes