Ouça a Rádio Ao Vivo

Guarda recupera bomba hidráulica levada de antiga agência da Caixa

 Foto Divulgação/GCM-Cachoeiro

Uma bomba hidráulica furtada, que pertenceria à sede desativada do banco Caixa Econômica Federal, foi encontrada na manhã desta segunda-feira (4), na praça Jerônimo Monteiro, em Cachoeiro de Itapemirim.

O objeto, que pesa aproximadamente 50 quilos e é utilizado no combate a incêndios, foi encontrado pela Guarda Civil Municipal. O equipamento estava sem o motor e escondido embaixo de um cobertor próximo a escadaria da Câmara Municipal de Vereadores.

A GCM chegou ao local após informações repassadas pelo Centro Integrado Operacional de Defesa Social (Ciodes).

O furto foi repassado ao Ciodes através de uma denúncia anônima. Ao chegar na Praça Jerônimo Monteiro, a GCM abordou funcionários da empreiteira que realiza a reforma do Palácio Bernardino Monteiro, antiga sede da Prefeitura.

Os trabalhadores indicaram o local correto onde estavam o objeto e informaram que mais cedo uma pessoa em situação de rua estava retirando o motor da bomba hidráulica. Segundo eles, o equipamento foi furtado do prédio desativado da Caixa por um casal em situação de rua, que dorme no local.

Os agentes da GCM foram até a sede desativada para se certificarem se o objeto furtado pertencia ao prédio. Porém, nenhum responsável foi localizado.

A bomba hidráulica foi entregue no Departamento de Polícia Judiciária (DPJ) do município. Até o fechamento desta matéria, ninguém havia sido preso pelo furto.

Transtornos

A mudança da sede da Caixa Econômica Federal, antes localizada na praça Jerônimo Monteiro, para o bairro Paraíso têm gerado transtornos para comerciantes que estão ao redor do prédio desativado.

Na semana passada, a reportagem do ES de FATO ouviu as queixas dos lojistas. Segundo eles, desde de outubro quando o ocorreu a mudança de endereço, o local vem sendo invadido e depredado por pessoas em situações de rua.

Os vândalos furtaram objetivos e quebraram os vidros das janelas. Outro problema, de acordo com os funcionários de uma farmácia que fica ao lado do imóvel, é o cheiro forte deixado pelos invasores, que usam o local como banheiro.

Para conter o acesso ao interior da antiga sede tapumes foram colocados. A barreira foi violada e alguns moradores de rua entraram no prédio. Porém, um homem em situação de rua que se abriga embaixo da marquise recolou os tapumes. Ele também encostou o portão da garagem, que se encontra destrancado facilitando o acesso ao local.

Fotos: arquivo/Fato 

Outro meio utilizado pelos invasores é adentrar o imóvel pelos fundos, através das margens do Rio Itapemirim.

Em reposta enviada na semana passada, a Caixa disse: “O banco esclarece que o contrato de locação do imóvel está em processo de encerramento e que todas as medidas para fechamento do local, limpeza e recuperação dos itens danificados já foram iniciadas.”

Nesta manhã, a Guarda Civil Municipal informou que o proprietário do imóvel já foi acionado para realizar o fechamento total do local.

fonte original do Jornal Fato

Confira mais Notícias

Leptospirose: 85 casos suspeitos da doença foram registrados em Mimoso

Roberto Carlos: maior nome da música brasileira completa 83 anos na sexta (19)

Incêndio atinge empresa em Itaoca, distrito de Cachoeiro

Escritora atacada por pit bulls recebe alta após 13 dias internada

Cachoeiro: autorizada reforma do Centro de Saúde “Paulo Pereira Gomes”

Barbeiro é detido com moto clonada em Cachoeiro

Cachoeiro: Servidor da prefeitura perde braço após acidente de trabalho

Cachoeiro recebe evento de cidades inteligentes