Ouça a Rádio Ao Vivo

Governo Federal institui plano para acelerar transição energética

O Ministério de Minas e Energia (MME) e a Agência Internacional de Energia (IEA) assinaram, nesta quarta-feira (31), o Plano de Trabalho Conjunto para a Aceleração da Transição Energética. O objetivo é acelerar e ampliar a matriz energética brasileira de forma limpa, diversificada, limpa, plural e inclusiva, com investimentos em fontes renováveis de biocombustíveis.
O plano de trabalho contempla uma ampla gama de temas e projetos, incluindo a produção e intercâmbio de bases de dados sobre o setor de energia e o desenvolvimento de estudos para fortalecer a transição energética.

Para o ministro de Minas e Energia (MME), Alexandre Silveira, a política interministerial é uma estratégia essencial para que o Governo Federal cumpra suas metas de enfrentamento à crise climática. “O Brasil tem a vocação de ser o celeiro do mundo na produção de alimentos, mas também deve se fortalecer para que continue no caminho de ser um celeiro de produção de energias limpas e renováveis, de biocombustíveis para preservar o planeta”, afirmou.

Segundo o ministro, parcerias entre o setor público e o privado podem oferecer condições para que o Brasil acelere e invista cada vez mais na transição energética e desenvolva o País, contribuindo para a reduzir a crise climática, que afeta todos os continentes. “Queremos transformar a transição energética em um pilar de sustentabilidade para construir o que todos queremos”, completou, ao fazer referência às metas do Governo Federal de conciliar crescimento econômico baseados em preservação ambiental e distribuição de renda.

Alexandre Silveira reforçou a importância dos investimentos de bancos públicos, do setor privado e de instituições internacionais, como a Agência Internacional de Energia. “Vamos aproveitar esse momento, não vamos perder as oportunidades para fazer o Brasil crescer para contribuir com o mundo nesse debate e poder alcançar nosso grande objetivo”, disse.

O titular da pasta de Minas e Energia citou, ainda, o potencial brasileiro de contribuir globalmente para mitigar os efeitos da destruição ambiental, já que o País ocupa a Presidência temporária do G20. “Este é um ano especial, em que temos a oportunidade e a responsabilidade de presidir o grupo que reúne as maiores economias do mundo, e vamos aproveitar essa oportunidade para disseminá-la para todo o planeta. É o ano da transição energética justa e inclusiva”, argumentou.

O Brasil já é o País que possui uma das matrizes energéticas mais limpas do mundo, com quase 50% de fontes de energia renováveis, com hidrelétricas, energia eólica e solar, biomassa, etanol, biogás, biodiesel e hidrogênio verde.

Fonte: Agência Gov/ Foto: Ricardo Botelho/MME

fonte original do Montanhas Capixabas

Confira mais Notícias

GCM de Cachoeiro apreende moto clonada no bairro Vila Rica

Polícia Militar apreende drogas em São José do Calçado

Mulher é detida com moto clonada em Jerônimo Monteiro

Força Tática detém homem com 130 pedras de crack em Alegre

ES fecha bimestre com menor número de homicídios em 28 anos

Operação policial prende quatro pessoas e apreende armas e drogas em Guaçuí

Anchieta oferece atividades para maiores de 60 anos

Integrante de facção criminosa é detido em Bom Jesus do Norte