Ouça a Rádio Ao Vivo

Estados Unidos pede apoio da ONU em resolução para cessar-fogo em Gaza

Foto: Reprodução/Twitter @SecBlinken

Os Estados Unidos vão pedir ao Conselho de Segurança da ONU nesta sexta-feira (22), que apoie a resolução sobre o cessar-fogo imediato na Faixa de Gaza , além de um acordo para a libertação de reféns.

Nate Evans, porta-voz da missão dos EUA nas Nações Unidas, declarou na quinta-feira que a resolução é resultado de “muitas rodadas de consultas” com os 15 membros do Conselho de Segurança. 

Para uma resolução ser aprovada no Conselho de Segurança da ONU, é preciso que ao menos nove países votem a favor e não haja nenhum veto dos que têm direito à negativa, como os EUA, França, Grã-Bretanha, Rússia e China.

Segundo a agência de notícias Reuters, o texto pede um “cessar-fogo imediato e sustentado”, que deve durar até seis semanas, com inclusão de proteção aos civis para entrega de ajuda humanitária.

A resolução ainda apoia as negociações mediadas pelos EUA, Egito e Catar sobre um cessar-fogo e acentua que a trégua deve intensificar os esforços para uma “paz duradoura”.

Os Estados Unidos são aliados de Israel, apesar de terem mudado o tom em relação à guerra nas últimas semanas. Anteriormente, eles vetaram resoluções de outros países sobre o conflito.  Um dos textos vetados foi feito pelo Brasil, em outubro de 2023.

O Secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken ressaltou que apoia Israel e seu direito de contra-ofensiva. 

“Esperamos sinceramente que os países apoiem isso. Penso que isso enviaria uma mensagem forte, um sinal forte. Mas, claro, apoiamos Israel e o seu direito de se defender”, disse Blinken.

No começo de março, o presidente dos EUA, Joe Biden, afirmou que a abordagem do primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu , em Gaza, pode arruinar a imagem do país, dizendo que “ele está prejudicando Israel mais do que ajudando” . Além disso, o líder norte-americano pediu um cessar-fogo imediato.

O conflito entre Israel e Hamas, que vai completar seis meses em abril, já deixou mais de 32 mil mortos do lado da Palestina e 1.200 mortos do lado israelense. Ainda, mais de 70% do território de Gaza já foi destruído por causa da guerra.

Fonte: Portal IG

fonte original do Montanhas Capixabas

Confira mais Notícias

Sem capacete, meninas são flagradas pela GCM trafegando com moto

Situação e oposição fazem convenções no mesmo dia em Marataízes

Cafeicultura sustentável torna Seguro Rural mais barato

Ondas de calor e veranicos: Diferenças, impactos e cuidados

Veja a previsão do tempo de hoje (22/07/2024)

Fungos estão se adaptando ao calor corporal, diz estudo

Semana de início das Olimpíadas tem dia do escritor e avós

Pega em flagrante ameaçando pessoas, dupla armada é detida em Alegre