Ouça a Rádio Ao Vivo

Dia dos Namorados: A força da oração presente no namoro

Foto: divulgação/Diocese de Cachoeiro

Nesta quarta-feira, 12 de junho, quando é comemorado no Brasil o Dia dos Namorados, muitos casais publicam declarações e fotos em suas redes sociais. Em um dia como este, em 2020, Victor Meriguete, 29 anos, e Ana Paula Meriguete, 28 anos, celebrava o primeiro ano de casados. O jovem casal têm dois filhos e lembram com carinho os momentos de oração pelo futuro cônjuge antes mesmo do namoro e garantem que isso reflete hoje na vida de oração casados.

“Eu e minha esposa nos conhecemos no MJC (Movimento Jovem Cristão) de Guarapari, servíamos juntos e nosso relacionamento era exclusivamente uma amizade, ainda não tínhamos esse olhar ‘intencional’ um para com o outro”, contou.

Antes do namoro, Victor, Ana Paula e outra amiga queriam se consagrar à Nossa Senhora, os três começaram a se reunir para fazer os exercícios de preparação e rezar o terço.

“Um dia, eu Ana e nossa amiga estávamos na praça. Nossa amiga saiu e ficamos sozinhos. Pouco tempo depois, um padre passou na praça e nos viu rezando o terço e perguntou se estávamos namorando. Eu disse que não e ele disse que deveríamos pensar. Foi depois desse momento que passamos a nos olhar de outra forma”, recordou.

Os dois, então, passaram a rezar para um discernimento. “Começamos a rezar não para Deus responder se era para namorarmos, mas para que Deus nos desse um olhar mais atento para vermos quem era a pessoa para um namoro. Foram três meses vivenciando este momento de reflexão”, disse. Segundo Victor, ambos já tinham “o discernimento da vocação, que era para o matrimônio” e também “se compartilhávamos os mesmos objetivos”.

Depois do período de oração, concordaram que a pessoa que queriam como futuro cônjuge “já estava próxima” e iniciaram o namoro. A oração do terço permitiu que mantivessem “o propósito de estar sempre perto de Nossa Senhora”, o que se seguiu também no namoro.

“Rezamos durante três meses antes de começarmos a namorar, pedindo para que Deus unisse os propósitos. Valeu muito a pena, porque se construímos nosso relacionamento na oração com uma decisão bem discernida, hoje, diante das dificuldades, temos a capacidade de olha para trás e lembrar dessa decisão”, disse. Para ele, “A oração, atualmente, é presente em nossa casa, porque lá atrás isso já era normal e fazia parte da rotina”.

O namoro é uma etapa muito rica e intensa na qual o casal se prepara para o matrimônio, na qual existe uma série de desafios que devem enfrentar. Diante desta situação, o missionário Ricardo Sá, casados e há mais de 20 anos com Eliana Sá, afirmou à Rádio Diocesana, em entrevista nesta terça-feira, 11, que a iniciativa de rezar pelo futuro cônjuge antes mesmo de conhecê-lo “é muito linda, porque nasce da compreensão de que Deus conduz todas as coisas”. O casal tem missão reconhecida por todo o Brasil focados nos temas de família e matrimônio.

“Na medida em que vamos amadurecendo na fé, vamos entendendo que a providência divina não diz respeito àquilo que a gente materialmente tem ou deixa de ter. A providência divina é essa força poderosa que conduz a nossa vida em todos os seus aspectos e Deus, inclusive, é especialista em detalhes”, disse.

Tendo em vista que em junho é celebrado o dia dos namorados, Ricardo Sá tem deu uma dica para os solteiros em buscam, em um mundo erotizado, materialista e afastado de Deus, um parceiro ou parceira que compartilhem princípios religiosos.

“Ao longo da minha caminhada junto à Eliana como missionários, abordamos muito o tema ‘namoro cristão’. Foi nesse momento que solteiros começaram a nos procurar e expressar o desejo de que alguma coisa fosse feita especialmente para a realidade deles. A partir dessa iniciativa, surgiu no nosso coração essa vontade de criar um lugar para que solteiros cristãos se encontrem e também recebam formação para estruturar a si e a seus relacionamentos. Inspirados por São João Paulo II, renunciamos ao medo e ingressamos na internet”.

Ricardo e Eliana deram um primeiro passo em 2009 com a criação de uma página no facebook dedicada aos solteiros, hoje com mais de 300.000 seguidores. Em 2015, foram morar em Roma, e a vontade de dar uma mão para os solteiros não saiu de seus corações. Ao retornar, em 2018, Ricardo e Eliana buscaram especialistas em comunicação digital e desenvolvimento de aplicativos para auxiliá-los. As novas parcerias deram ‘match’ e assim nasceu o ‘Caná: Encontros pela Fé’, que ajudará milhares de cristãos solteiros que desejam construir relacionamentos alicerçados no amor de Deus.

Os usuários do Caná são, de modo geral, católicos, missionários, pessoas que buscam uma experiência de conhecimento amplo para si mesmos antes de buscar no outro aquilo que almejam. Não podemos garantir que todos os usuários estejam bem-intencionados. É como um Grupo de Oração, não há como ter certeza de que todos lá, estão bem-intencionados, mas asseguro que tudo foi pensado para que os solteiros cristãos encontrem pessoas com os mesmos valores e conteúdo que ajudarão na experiência do amor.

Fonte: Diocese de Cachoeiro

fonte original do Jornal Fato

Confira mais Notícias

Fiscalização eletrônica de velocidade é restabelecida aos poucos

Após perseguição, foragido é capturado em Alegre

Dia do Policial Civil é ‘comemorado’ com prisão e apreensões em Guaçuí

Carreta tomba na BR-101 em Mimoso do Sul

Morre Mazinho Schwambach, colunista social de Domingos Martins e região

Mais de 50 médicos do Espírito Santo respondem por processo no CRM

VII Festival de Leituras Dramáticas Capixabas agita Cachoeiro

Seleção capixaba de handebol disputa Campeonato Brasileiro Cadete