Ouça a Rádio Ao Vivo

Deic prende integrantes de organização criminosa que ameaçou e extorquiu R$ 1,4 milhão de idoso

A Polícia Civil do Espírito Santo (PCES), por meio do Departamento Especializado de Investigações Criminais (Deic), prendeu quatro integrantes de uma organização criminosa apontados como autores de um crime de extorsão contra um idoso de 68 anos, em ambiente web. Um membro foi preso no município da Serra e os outros três foram presos em Vila Velha.

Os suspeitos se aproveitavam da vulnerabilidade da vítima e promoviam, por meio de aplicativo de mensagens, ameaças contra o idoso e seus familiares. A vítima teve um prejuízo aproximado de R$ 1,4 milhão. Os criminosos chegaram a realizar a compra de veículos e apartamentos com o valor extorquido.

“A prisão foi muito importante, pois é uma associação criminosa que vinha dilapidando o patrimônio moral e financeiro de um idoso. Há mais de dois anos eles vinham transferindo dinheiro, extorquindo e também fazendo financiamento, destruindo a vida da vítima”, relatou o delegado geral da Polícia Civil do Espírito Santo, José Darcy Arruda.

Por meio de investigações, a equipe policial conseguiu averiguar que a quadrilha se tratava de uma família, uma mãe, dois filhos e uma amiga da família, além de constatarem que a família era vizinha da vítima. “Cerca de 20 anos atrás, o idoso chegou a ajudar esses vizinhos de forma voluntária, que, na época, passavam por dificuldades financeiras”, informou o chefe do Departamento Especializado de Investigações Criminais, delegado Gabriel Monteiro.

A investigação teve início após a vítima comparecer à delegacia, informando que estava sendo extorquido por uma quadrilha há cerca de dois anos. “A associação criminosa tirava fotos da família do idoso, dos netos, da esposa, além de fotos do local onde a vítima trabalhava e o colégio onde os netos estudavam”, detalhou o delegado Gabriel Monteiro.

“Eles enviavam fotos de pistolas para a vítima, informando que, caso não realizassem as transferências, traficantes de Cariacica iriam sequestrar a família dele. A vítima, por ser vulnerável e não ter conhecimento de internet, ficava com medo de denunciar os criminosos e prejudicar a família”, acrescentou Monteiro.

Segundo apurado na investigação, os criminosos utilizavam um aplicativo de celular que distorce vozes e, dessa forma, conseguiam entrar em contato com o idoso sem levantar suspeitas. Além disso, utilizavam outros CPFs para dificultar que os localizassem. Inicialmente, a quadrilha extorquia valores entre R$ 10 e 20 mil reais, depois aumentaram para cerca de R$ 200 mil.

No dia 15 de novembro de 2023, um dos integrantes da quadrilha foi preso na residência dele, no bairro Morada das Laranjeiras, na Serra. O suspeito já tinha passagem pela polícia pelos crimes de tráfico interestadual e estelionato. Três membros ainda não haviam sido presos e continuaram a ameaçar o idoso, que voltou à delegacia para uma nova denúncia.

No dia seguinte, 16 de novembro, os três membros foram localizados e presos em uma pousada na Ponta da Fruta, em Vila Velha. Foi apreendida uma agenda com detalhes da extorsão, além de telefones celulares que continham os materiais que a quadrilha enviava para a vítima. Os quatro detidos foram autuados pelos crimes de extorsão majorada e associação criminosa.

Fonte/ Foto: PCES

fonte original do Montanhas Capixabas

Confira mais Notícias

Sem capacete, meninas são flagradas pela GCM trafegando com moto

Situação e oposição fazem convenções no mesmo dia em Marataízes

Cafeicultura sustentável torna Seguro Rural mais barato

Ondas de calor e veranicos: Diferenças, impactos e cuidados

Veja a previsão do tempo de hoje (22/07/2024)

Fungos estão se adaptando ao calor corporal, diz estudo

Semana de início das Olimpíadas tem dia do escritor e avós

Pega em flagrante ameaçando pessoas, dupla armada é detida em Alegre