Ouça a Rádio Ao Vivo

Caixa diz tomar providências; mas quebradeira continua em antiga agência

 Fotos: Jornal FATO

Desde a mudança da agência da Caixa Econômica Federal da praça Jerônimo Monteiro para o bairro Paraíso, em Cachoeiro de Itapemirim, em outubro do ano passado, comerciantes ao redor do prédio desativado relatam transtornos. A estrutura, abandonada, ainda está sob responsabilidade do banco, mas tem sido depredada e invadida diariamente.

A assessoria da instituição financeira afirma que o contrato de locação do imóvel está em processo de encerramento e que todas as medidas para fechamento do local, limpeza e recuperação dos itens danificados já foram iniciadas. Mas não é o que se percebe in loco.

Na manhã desta sexta-feira (1°), a reportagem do ES de FATO foi até lá mais uma vez para conferir a situação. De acordo com o funcionário de um tradicional café que fica localizado ao lado, as invasões, em sua maioria, ocorrem à noite. Segundo ele, pessoas em situação de rua acessam o prédio pela parte de trás, na margem do rio Itapemirim.

Fotos e vídeos mostram o resultado do vandalismo. Os vidros das janelas estão quebrados, assim como o interior do prédio. Segundo o porteiro de uma galeria que fica próximo, a quebradeira é diária.

Na frente do imóvel foram instalados tapumes na sexta-feira da semana passada. Mas a barreira já foi violada e o local invadido, agora pela parte frontal do prédio. Outro ponto de acesso ao interior é o portão que da garagem, que se encontra destrancado.

Um homem em situação de rua que se abriga embaixo da marquise da antiga agência descreve que, por volta de 3h30 da manhã, foi surpreendido pelo barulho do choque de uma janela arremessada na rua.

Ao cair, o vidro ficou estilhaçado na calçada. O morador de rua conta que varreu os cacos e encostou o portão da garagem, por onde os vândalos tinham entrado. Anteriormente, o homem diz que já havia recolocado os tapumes na parte frontal do imóvel.

Para os funcionários de uma farmácia que fica nas proximidades, o problema é o mau cheiro deixado no local. Segundo eles, os invasores urinam nas dependências do prédio. Além disso, reclamam que desde a saída da agência da Caixa o movimento caiu.

A Guarda Civil Municipal (GCM) foi acionada pelo porteiro da galeria. Mas, segundo o funcionário, a corporação alega que não pode intervir na situação por se tratar de um órgão federal.

O setor de comunicação da Prefeitura foi acionado sobre o posicionamento da GCM e informou que a corporação busca localizar o proprietário. Quando o encontrar pedirá o isolamento do local. 

CAIXA

Desde a semana passada a reportagem do Jornal FATO acionou a assessoria de imprensa sobre a situação no local. O objetivo era saber se o imóvel está ainda sob responsabilidade da Caixa, que providências serão tomadas e quando.

Apenas na quinta-feira (29) a resposta veio. E está reproduzida na íntegra a seguir:

“A CAIXA informa que reinaugurou, em outubro de 2023, a Agência Cachoeiro de Itapemirim (ES), que passou a funcionar em um espaço mais moderno e funcional na Avenida Francisco Lacerda Aguiar, 410/426, Edifício Stone Office Center, no bairro Paraíso.

O banco esclarece que o contrato de locação do imóvel está em processo de encerramento e que todas as medidas para fechamento do local, limpeza e recuperação dos itens danificados já foram iniciadas.”

fonte original do Jornal Fato

Confira mais Notícias

Prêmio CNA Brasil Artesanal abre inscrições para concurso de cafés especiais torrados

Funai solicita Força de Segurança Nacional para TI Uru-Eu-Wau-Wau

Brasil é campeão no Mundial de Robótica em Houston

Espírito Santo registra redução nas taxas de pobreza e extrema pobreza

Programa Acredita começa hoje e prevê facilidade aos MEIs em negociação de dívidas

Lacen confirma circulação de Febre do Oropouche no Espírito Santo

Projeto Jovem Perito da Polícia Científica está com agenda de 2024 aberta

Agricultores familiares acessam políticas públicas de comercialização e melhoram renda com apoio do Incaper