Ouça a Rádio Ao Vivo

Ales pode votar até quinta-feira se Assumção fica preso

Foto: Lucas S. Costa

O presidente da Assembleia Legislativa capixaba (Ales), Marcelo Santos, em cumprimento à decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que determinou a prisão preventiva do deputado estadual Capitão Assumção na última quarta-feira (28), anunciou a criação de uma comissão especial para deliberar sobre o caso. 

A medida, comunicada aos parlamentares durante reunião na sala da presidência e divulgada oficialmente no Diário Oficial do Poder Legislativo nesta segunda-feira (04), “destaca a seriedade com que a instituição encara os desdobramentos decorrentes da ordem judicial”.

A comissão especial, presidida pelo deputado estadual Lucas Scaramussa, encarregada de analisar a situação, é composta por membros da Comissão de Justiça e da Corregedoria, órgãos fundamentais no processo de fiscalização e cumprimento das normas legais. 

Com um prazo de até 72 horas para apresentar o relatório, os membros enfrentam a tarefa complexa de examinar o caso do colega – acusado, pelo Ministério Público do Estado, de integrar milícia digital – e emitir uma recomendação que será submetida à votação de todos os parlamentares no plenário.

“A prisão de um parlamentar por determinação do STF é um acontecimento extraordinário, fora do comum, nunca antes vivenciado por nenhum presidente, que levanta questões complexas sobre a separação de Poderes e o funcionamento das instituições democráticas. A criação desta comissão especial pela Assembleia Legislativa demonstra nosso compromisso em conduzir este processo de forma transparente e responsável, respeitando os princípios fundamentais do Estado de Direito. É nosso dever realizar um trabalho com isenção e imparcialidade, buscando oferecer uma contribuição significativa para a resolução deste importante episódio”, declara o presidente da Assembleia Legislativa, Marcelo Santos.

O deputado estadual ressaltou ainda que a decisão final sobre a liberdade de Capitão Assumção não cabe apenas aos legisladores estaduais, mas também ao Ministro Relator do STF que ordenou sua prisão. 

“Nós vamos seguir o rito estabelecido nas Constituições Federal e Estadual. E compete ao ministro Alexandre de Moraes, relator da matéria, adotar as medidas pertinentes ao que será decidido pelos parlamentares capixabas”, diz Santos. 

fonte original do Jornal Fato

Confira mais Notícias

Prêmio CNA Brasil Artesanal abre inscrições para concurso de cafés especiais torrados

Funai solicita Força de Segurança Nacional para TI Uru-Eu-Wau-Wau

Brasil é campeão no Mundial de Robótica em Houston

Espírito Santo registra redução nas taxas de pobreza e extrema pobreza

Programa Acredita começa hoje e prevê facilidade aos MEIs em negociação de dívidas

Lacen confirma circulação de Febre do Oropouche no Espírito Santo

Projeto Jovem Perito da Polícia Científica está com agenda de 2024 aberta

Agricultores familiares acessam políticas públicas de comercialização e melhoram renda com apoio do Incaper