Ouça a Rádio Ao Vivo

“Achei que iria morrer afogada”, diz idosa que ficou ilhada em Mimoso do Sul

Dona Helena e o marido Jonas Torres ficaram ilhados durante a enchente em Mimoso do Sul |  Foto: Eliana Proscholdt/AT

“Foi desesperador. Nunca passei por uma situação dessa. Na minha casa nunca veio água, chegava na rua, mas aqui eu nunca vi. Aí começou a subir e eu achava que não ia entrar na minha casa, mas quando chegou no penúltimo degrau pensei em tentar salvar algumas coisas, mas perdi tudo. Achei que ia morrer afogada”. Esse é o relato da aposentada Helena Cachuba, de 68 anos. Moradora de Mimoso do Sul, a idosa ficou ilhada no terraço da própria residência durante toda a madrugada do último sábado (23) e passou por momentos de terror enquanto via a água destruir tudo que havia construído.

“É muito triste. Tentamos colocar as coisas em cima das cadeiras, mas a cadeira ficava virando. Estragou tudo. Eu perdi tudo. Fiquei sem até a minha roupa. Essa que estou vestindo é da minha filha. Nós ficamos sem mantimento para comer. Arroz, açúcar, absolutamente tudo… a gente não tinha nada”, contou dona Helena, que mora com o marido Jonas Torres, que é deficiente físico.

“Fomos para o terraço quando a água entrou na casa, mas só faltaram três degraus para a água chegar onde estávamos. Nesse momento liguei para a Defesa Civil pedindo pelo amor de Deus para tirarem a gente de lá. Não queria morrer afogada. A moça falou que tinha uma lista muito grande de espera. Meu marido começou a ficar desesperado. Ele não tem muito medo, mas naquela hora ele sentiu medo”, continuou ela.

Dona Helena e o marido não foram resgatados e passaram o sábado inteiro no terraço da residência, sem conseguir dormir ou comer.

“O Corpo de Bombeiros apareceu por volta das 10 horas da manhã, mas a água já tinha abaixado. Ficamos sem água e comida. Só fomos comer por volta das três horas da tarde quando uma pessoa trouxe marmita para a gente. Tem 20 anos que moro aqui e isso nunca tinha acontecido”, revelou dona Helena, que confia na própria fé para recomeçar após a tragédia.

“Quando temos Deus e fé, tudo se revolve. Eu rezei muito, pedi muito para que Ele não deixasse a água nos levar, para a gente não morrer. Nunca deixei de rezar e ter fé. Acredito que isso que fortalece a gente. A fé da gente fortalece a gente”, ressaltou ela.

Assim como Dona Helena, muitas outras pessoas que moram em municípios do Sul do Espírito Santo perderam tudo com as inundações que ocorrerem na madrugada do último sábado (23). De acordo com a atualização do último boletim da Defesa Civil, a forte chuva deixou 7.287 pessoas desalojadas e outras 411 perderam suas moradias e estão desabrigadas nos municípios de Mimoso do Sul, Apiacá, Bom Jesus do Norte e Vargem Alta.

Até o momento, a Defesa Civil confirmou a morte de 19 pessoas. Sendo 17 em Mimoso do Sul e 2 em Apiacá.

fonte original da Tribuna Online

Confira mais Notícias

Leptospirose: 85 casos suspeitos da doença foram registrados em Mimoso

Roberto Carlos: maior nome da música brasileira completa 83 anos na sexta (19)

Incêndio atinge empresa em Itaoca, distrito de Cachoeiro

Escritora atacada por pit bulls recebe alta após 13 dias internada

Cachoeiro: autorizada reforma do Centro de Saúde “Paulo Pereira Gomes”

Barbeiro é detido com moto clonada em Cachoeiro

Cachoeiro: Servidor da prefeitura perde braço após acidente de trabalho

Cachoeiro recebe evento de cidades inteligentes